Publicado em Deixe um comentário

Quais os diferenciais dos nossos Lipbalms?

Blog Labot

Os lábios são uma zona de transição entre a pele facial e a mucosa bucal, possuem uma epiderme com fina camada de células de queratina, que permite mostrar a derme com pequenos vasos sanguíneos responsável por sua cor rosada. Não possuem glândulas sebáceas e sudoríparas, o que confere baixa proteção a perda de água.

A pele neste local esta mais exposta as influencias ambientais como ventos, sol, baixas temperaturas e umidade o que leva a desidratação, como resposta a pele dos lábios se torna áspera e seca podendo se lesionar facilmente. #lábiosressecados

Pensando em toda a anatomia da pele dos lábios, os melhores ingredientes para esta área são os óleos, ceras e manteigas, pois formam um filme protetor que aumenta a hidratação e a emoliência fatores que aceleram a regeneração da pele.

Por que optamos por ingredientes vegetais?

Retomamos os conhecimentos da medicina milenar tradicional de diversos países e apostamos no protagonismo dos ativos botânicos de alta tecnologia. Porque são altamente compatíveis com a pele e tem características peculiares, para aumentar a emoliência e hidratação dos lábios.

Os óleos vegetais são ricos em esqualeno e fitosteróis que aceleram a cicatrização, preservam a maciez e suavidade da pele.

As manteigas e emolientes de origem vegetal têm altos níveis de ácidos graxos que contribuem na umectação da pele e na conservação da elasticidade e são ricas em vitaminas A, C, D e F, previnem o ressecamento e estimulam a regeneração celular.

Ceras vegetais sustentáveis,  as plantas produzem ceras naturais que são sintetizadas bioquimicamente por bioorganismos para se protegerem contra tensões mecânicas, perda de umidade, parasitas e radiação UV inúmeras. Elas fornecem estabilidade, melhoram a viscosidade e a consistência dos nossos lipbalms. Formam camadas protetoras e proporcionam uma sensação de pele soberba, leve, macia e amanteigada. A produção de ceras de semente de girassol e de farelo de arroz, especificamente, cria uma cadeia de valor, pois os materiais brutos que normalmente seriam descartados são usados ​​de forma benéfica.

Ativo exclusivo de alga, óleo de dictiopteris obtido pela extração supercrítica de co2 da alga marrom Dictyopteris membranacea, conhecida por seu alto teor de feromônios. As algas são cultivadas usando métodos de cultivo marinho em uma área privada e protegida na costa da Bretanha (França). Este ativo aumenta a Adiponutrina e promove um efeito nutritivo sobre os adipócitos para reestruturar os volumes da pele. Os volumes são capturados, os lábios são preenchidos e a aspereza e as rugas periféricas desaparecem.

Qual diferencial dos nossos lipbalms?

Criamos a Linha Lipx para oferecer uma experiência de rotina diária de cuidado para os lábios. A rotina básica de cuidado com o rosto já é consolidada –  hidratação, remoção de células mortas e proteção solar –  mas os lábios ficaram um pouco esquecidos nesta hora.

Então, pensando nestes passos da rotina básica, elaboramos uma para os lábios, com lipbalms desenvolvidos em composições funcionais, ricos em ingredientes de origem vegetal em sua maioria certificados Cosmos/Ecocert, com alta compatibilidade com esta pele delicada e fina que fica muito exposta e sem proteção adequada. Nesta seleção contemplamos a hidratação, com Lipx Salve, Green Lipx e Lipx Vegojelly; proteção solar físcia com Lipx Solaire FPS 15/UVA9; esfoliação noturna com Lipx Polish noite e ação reestruturadora, com aumento do volume e definição dos lábios, Lipx Extra Volume.

Certificações

Selo Peta: todos os nossos lipbalms são certificados cruelty free e veganos, isto é, todoas as matérias primas e o produto final não tem ingrediente de origem animal e nem foram testados em animais.

Selo Eureciclo: Ao adotar o selo eureciclo, estamos, investindo em uma rede de cooperativas e operadores parceiros, que são remunerados pelo serviço prestado de coleta e direcionamento de resíduos para a reciclagem.Isso significa que, ao compensar o impacto das suas embalagens, ajudamos também ajuda a formalizar e valorizar o trabalho prestado por essas organizações, desenvolvendo a cadeia de reciclagem do país.

Publicado em Deixe um comentário

O girassol, multifuncional, é uma flor comestível.Sim!!

Girassol (Helianthus annus). Quando falamos em girassol automaticamente associamos à flor que gira em direção ao sol. Mas isso foi comprovado por um botânico já em 1880 que o Girassol só acompanha o sol quando pequeno. Isso porque o lado que recebe menos luz cresce mais e isso faz com que o caule incline. Quando adulto se posiciona com mais frequência do lado esquerdo.

Costumo dizer que O Girassol tem multifunção.

Ele é responsável pela maior produção de óleo vegetal  do mundo, que é usado na culinária e em cosméticos, inclusive nos hidratantes labiais da Linha Lipx, por ser rico em Vit E. Esse óleo é extraído das suas sementes que na verdade são os frutos das flores que ficam em seu miolo. Nossa Deborah, que confuso? Explico, o Girassol é uma inflorescência. As “pétalas” amarelas na verdade não são pétalas, são lígulas que protegem toda a inflorescência da flor. No miolo é onde encontramos as centenas de flores que compõem a planta. E cada florzinha dessa gera seu frutinho que é a semente de girassol, muito usada hoje como base na alimentação #plantbased.

O girassol também tem 2 funções agrícolas interessantes e importantes para a Sustentabilidade. Primeiro que ele é plantado como adubo verde em produções orgânicas. Ele faz parte do mix de sementes utilizado para trabalhar o solo antes do plantio de determinada olerícula. Ele tem a capacidade de retirar o silício da terra, o que ajuda muito em uma produção sem químicos. Outra função numa produção Orgânica é a de Quebra-Vento , ele consegue proteger a plantação  “diminuindo” a ação do vento, evitando que as plantas sejam arrancadas ou quebradas, além de fazer uma barreira natural contra insetos e bichinhos indesejados. Como? Esses insetos e pragas “param” nele antes de chegar nos produtos plantados. Se chegar perto de uma produção orgânica e se aproximar dos girassóis verá quantos bichinhos e polinizadores ficam nele. É até um pouco aflitivo. Parece que ele está sendo devorado! E  Na verdade está!

E mais uma função que é ainda pouquíssimo falada. O girassol é uma flor comestível. Sim!! Podemos comer suas lígulas branqueadas misturadas em saladas, arroz, risotos. O seu botão floral (antes da flor abrir) também pode ser cozido e servido como aspargo. O Girassol está dentro das 85% de espécies de flores comestíveis do mundo, se produzido de forma orgânica!

Uma flor tão linda, chamativa mas que tem um ciclo de vida rápido. Brota, floresce, gera seus frutos e sua beleza se vai muito rápido.

Que tal começar a plantar girassóis no quintal de casa, dentro do apartamento num cantinho ensolarado e degustar cada parte dele que é de comer. Tenho certeza que será uma experiência inusitada e até divertida se as crianças participarem.

E aí, Vamos Comer girassóis!?

Beijos Floridos

Deborah Gaiotto

@deborahnafazenda

Para saber mais dos nossos lipbalms, sugerimos que veja também esta publicação: https://www.labot.com.br/porque-os-labios-ficam-ressecados/