Publicado em Deixe um comentário

Cosméticos naturais e veganos, entendendo o significado dos selos

Estamos cada vez mais conscientes com relação aos produtos cosméticos que iremos incluir em nossa rotina, com a relação das empresas com as matérias-primas, testes realizados por estas, descartes e uso de materiais mais  sustentáveis.

No Brasil, estima-se que haverá um crescimento entre 5 a 10% do mercado de produtos naturais e orgânicos nos próximos cinco anos. Para se preparar para este crescimento as empresas precisam, padronizar os conceitos envolvidos na definição destes produtos.

Os selos que encontramos nos rótulos das embalagens nos direcionam para a opção desejada e nos oferece a segurança de estar comprando um produto de acordo com nossas exigências.

No Brasil, bem como na maioria dos países, ainda não existe uma regulamentação oficial para produtos cosméticos naturais e orgânicos porque o tema é um tanto novo e sua definição é bastante ampla e tem muitos entendimentos.

Diversas organizações nacionais e internacionais, buscando fazer uma padronização dos conceitos, definem regras emitindo certificações para produtos cosméticos que atendam aos conceitos estabelecidos.

Fizemos um breve resumo das principais Certificadoras para produtos naturais e veganos:

– COSMOS: referencia em vários países, principalmente Europa, este referencial europeu privado, foi desenvolvido juntamente com cinco certificadoras – BDIH, COSMEBIO, ECOCERT, ICAE, SOIL ASSOCIATION – com objetivo de definir requisitos mínimos comuns e definir regras para certificação de cosméticos naturais e orgânicos.

– NATRUE: associação internacional sem fins lucrativos, criada na Europa em 2007, para padronizar o desenvolvimento de cosméticos naturais e orgânicos. Essas regras, assim como na Cosmos, tratam das matérias-primas utilizadas até a fabricação do produto final. Para produtos que são vendidos somente no mercado nacional, geralmente é usado o selo do IBD.

– IBD: estabelece um acordo de reconhecimento mútuo com a NATRUE, para exportação dos produtos. É a maior certificadora da América Latina para produtos orgânicos desde 2014.

– Sociedade Vegetariana Brasileira ( SVB): criado em 2013, o programa de certificação, Selo Vegano, é bastante reconhecido nacionalmente e é atribuído a produtos isentos de ingredientes de origem animal e cuja empresa que o produziu e os fabricantes de seus ingredientes não realizam testes em animais. A maioria dos nossos Lipx tem esse selo.

– PETA: esta ONG fundada em 1980 é reconhecida em diversos países, e tem dois selos que podem ser atribuídos a produtos cosméticos –  SELO CRUELTY FREE  e o APPROVED VEGAN –  importante ficar atento, pois nem todo produto cruelty free é vegano:

Selo Cruelty-free,  garante que os produtos não são testados em animais, nem possuem matérias primas testadas em animais. Mas podem pode conter insumos de origem animal, por exemplo, mel e queratina, desde que sua obtenção não tenha caudado sofrimento ao animal.

Selo Approved Vegan, certifica que, além de não ter sido testado em animais, o produto também não tem matérias-primas de origem animal. Nesse caso o produto e considerado vegano. Este selo equivale ao Selo Vegano da SVB.

Sempre que tiver dúvida se aquele produto que tem o selo no rotulo é mesmo certificado por alguns desses órgãos, a consulta ao site destas certificadoras já ajuda muito, pois normalmente informam quais produtos são certificados por elas.

Publicado em Deixe um comentário

Quer aderir à tendência do gloss sem abrir mão das formulações naturais? Nós temos a solução!!

Quer aderir à tendência do gloss sem abrir mão das formulações naturais? Nós temos a solução

Já reparou que, de uns tempos para cá, várias celebridades têm adotado o gloss em suas produções, seja para aparições rotineiras ou para eventos importantes? Direto da década de 1990, o produto teve um forte revival nos últimos anos, principalmente nas passarelas das semanas de moda, e logo foi incorporado de volta à vida real e às mais diferentes maquiagens.

É bastante comum, na moda, na beleza e em outros setores, tendências irem e voltarem. E, no caso do gloss, os motivos que o fizeram voltar a protagonizar os nécessaires valem ser mencionados:

·   a versatilidade do item, que, dependendo da composição, tem sido usado em outras partes do rosto para um efeito molhado;

·   o boom das produções leves e bem fresh, com menos maquiagem e mais skincare, priorizando produtos multifuncionais de cuidado para a pele, olhos e boca;

·   depois da febre dos preenchimentos nos lábios, as pessoas têm procurado pelo efeito de volume, mas com procedimentos e truques menos invasivos. E, no caso do gloss, o viço tem esse efeito ótico de dar a impressão de lábios maiores.

Mas, como todo bom retorno, o gloss de agora tem atualizações importantes, principalmente nas formulações, bastante diferentes daquelas que usávamos em outras décadas. O que inclui, claro, uma evolução na textura dos novos produtos.

Diante de tanto sucesso, nós, da Labot Green Cosmetics, primeira marca a desenvolver uma linha exclusiva de cuidados com os lábios, não poderíamos deixar de oferecer um gloss incrível, com textura agradável e, claro, uma fórmula que vai além da entrega estética.

Por isso, apresentamos o LipX Vegojelly, à base de geleia de berries, manteiga de karité e manteiga de Monoï do Tahiti. A geleia é composta por óleo de rícino e cera de berries extraídas da casca seca das frutas, cultivadas e colhidas no Leste Asiático. Já os outros protagonistas da composição são dois ativos ultra reparadores: a manteiga de karité e a manteiga de Monoï do Tahiti. Enquanto o primeiro promove hidratação poderosa, afastando o ressecamento e devolvendo o aspecto saudável aos lábios, o segundo, misturado ao óleo de coco, tem efeito reparador, calmante e firmador.

Além do filme protetor que retém a hidratação, a cera de berries é também a responsável por dar o acabamento glow ao produto, que entrega um efeito gloss sem deixar o toque pegajoso, e refrescante, graças ao óleo essencial de menta. Tudo isso em uma fórmula 99,5 % natural, livre de petrolatos e silicones e certificada como vegana pela SVB.

Multifuncional, LipX Vegogelly pode ser inserido na rotina de cuidados de diversas formas:

·         como balm para uma hidratação reparadora;

·         depois do LipX Extra Volume, tratamento de volume;

·         por cima de qualquer batom ou do LipX Solaire para um efeito glow;

·         no make, pode ser usado para aplicação de glitter e para dar acabamento molhado às produções.

A novidade já está disponível  aqui, no nosso no e-commerce próprio, e nas lojas da Sephora, por R$ 36,00.

Publicado em Deixe um comentário

Agradecimento, Viva a Beleza Natural e Sustentável!

Viva a Beleza Natural e Sustentável! Agradecemos muito a torcida de todos neste evento, Prêmio Ecoera, onde todas as empresas participantes abriram suas agendas para discutirem sustentabilidade em sua cadeia de valor, foram 126 empresas inscritas ficamos entre os 26 finalistas, e desta vez não levamos o troféu, mas estar entre este time selecionado já foi uma enorme vitória.

Continuamos acreditando,  cada vez mais,  que precisamos produzir e consumir de forma mais responsável e sustentável.

Nesta quarta edição do Premio Ecoera que ocorreu no dia 09/11, as empresas foram avaliadas segundo um questionário de avaliação que mede as boas práticas das empresas divididas em três fases: pré-consumo, consumo e pós-consumo.

A fase do pré-consumo refere-se a fase que começa no plantio ou fabricação das matérias primas passando pela criação, desenvolvimento até a chegada das peças nos pontos de venda; a fase do consumo tem como foco o ponto de venda e as relações com os clientes; e a fase do pós-consumo, que mede as práticas positivas no término da vida útil dos produtos e na sua destinação quando descartado.

Vamos então destacar aqui estes pontos importantes que queremos dividir com vocês, sobre o que fazemos sobre estas boas praticas nestas nestas três fases:

Pré consumo:Desde o desenvolvimento dos produtos, os fornecedores são qualificados, as matérias primas são rastreáveis quanto a sua origem, extração e contribuição com economia local.

Não utilizamos matérias primas derivadas de animais, assim como derivados do petróleo, PEGs, silicones por não serem biodegradáveis, também são excluídos de nossa lista de ingredientes, assim como filtros solares químicos, essências sintéticas, parabenos, transgênicos e matéria primas com glúten.

Realizamos testes de eficácia e dermatológico, em laboratório qualificado e credenciado pela ANVISA em nossos produtos, garantindo assim a segurança e credibilidade de uso dos nossos produtos por nossos consumidores.

Valorizando a economia local

A fabrica onde são desenvolvidos e produzidos manualmente nossos produtos é nacional, está há 36 anos no mercado, empregando e gerando mão de obra especializada em fabricação de projetos naturais, gestão de resíduos e cuidado com meio ambiente. O mesmo acontece com nossas embalagens, são produzidas no Brasil, com plásticos que são recicláveis. Para toda nossa arte, nossos designers são brasileiros e estão alinhados também com nossos propósitos, utilizamos em toda nosso material impresso o selo FSC.

Para certificação de nossos produtos veganos, optamos pelo SELO VEGANO emitido pela Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) que é uma organização sem fins lucrativos que opera desde 2003 com recursos advindos de doações de seus filiados e apoiadores, entre outras fontes de receita minoritárias.

Pós consumo – Criando Impacto Socioambiental Positivo

Este ano compensamos 507kg de massa plástica, derivadas de nossas embalagens plásticas que são recicláveis, com a adoção do selo EURECICLO.

As cooperativas de reciclagem são responsáveis pela destinação correta dos resíduos recicláveis, mas raramente são remuneradas por prestar esse serviço ambiental, quando adotamos o selo eureciclo, preenchemos justamente essa lacuna da remuneração proporcional ao serviço, contribuindo para o desenvolvimento do setor de reciclagem no Brasil, cumprindo com toda a regulamentação existente e para a promoção do avanço da reciclagem no Brasil.

Traremos novidades em breve! Enquanto isso, acompanhe nosso trabalho e saiba mais sobre os nossos produtos aqui no site ou no nosso Instagram. E se tiver sugestões de como podemos ser ainda mais sustentáveis, escreva para nós.

Publicado em Deixe um comentário

Somos finalistas da quarta edição do Prêmio Ecoera!

Já ouviu falar no Selo Eureciclo? Por meio de uma logística reversa, os idealizadores do projeto destinam o lixo produzido por uma marca para cooperativas e fazem a compensação ambiental dos resíduos produzidos. Dessa forma, impedem que plástico, papel e outros tipos de lixos vão parar no meio-ambiente, causando desmatamento e poluição, e também permitem que famílias se beneficiem financeiramente da reciclagem desse material, estimulando a economia.

Desde julho deste ano, nós da Labot passamos a ter o selo Eureciclo, criando, assim, um novo capítulo na história da nossa marca, que já se preocupa em oferecer produtos naturais e livre de crueldade animal para os nossos consumidores. Afinal de contas, cuidar do meio-ambiente faz parte de cuidar das pessoas. Desde então, conseguimos compensar 508kg de massa plástica que, graças a iniciativa, não foi descartada em florestas, mares e rios.

Esse novo momento, junto com toda a história que já vínhamos contando, nos permitiu sermos finalistas na 4ª edição do Prêmio Ecoera, promovido pelo portal homônimo e com foco em sustentabilidade. A Labot é uma das 26 finalistas, selecionadas entre 129 marcas, de variados setores de consumo, que foram avaliadas desde o processo de criação dos produtos até o momento do descarte de materiais. Os vencedores serão anunciados no dia 09.11, mas estar entre o time selecionado já é uma enorme vitória para nós!

Traremos novidades em breve! Enquanto isso, acompanhe nosso trabalho e saiba mais sobre os nossos produtos aqui no site ou no nosso Instagram. E se tiver sugestões de como podemos ser ainda mais sustentáveis, escreva para nós.:)